quarta-feira, 27 de abril de 2016

Afinal, quem é Inês Corte Real?

Ela se chama Inês Côrte-Real, tem 21 anos. Frequenta o 4º ano de Psicologia e desde muito cedo que tem uma paixão gigante pela música. Aos dez anos começou a cantar… aos treze, começou a ter aulas de guitarra que abriram o caminho para começar a compor os seus próprios temas. Aos dezasseis anos escreveu “Hey Boy” e ano após ano, novas canções foram surgindo, dando “corpo” ao seu primeiro álbum,“Heartbeat” que está à venda desde Maio de 2014.
É com muito prazer que tenho a honra e alegria em apresentar na íntegra uma entrevista ímpar concedida a mim. Primeiro, tive meu contato com a Inês assistindo pelo youtube as suas apresentações no The Voice de Portugal, onde desde o primeiro momento que assistir a sua grande apresentação onde todos os jurados viraram a cadeira para ti, logo eu percebi que ali estaríamos conhecendo um grande talento. Vamos conhecer um pouquinho mais do trabalho deste grande talento português que canta e encanta por onde passa. É com você Inês!


1. O que te levou a Participar do The Voice?
Em 2015 resolvi participar no programa The Voice Portugal, para aumentar a minha
experiência profissional e, para me dar a conhecer um pouco melhor, ao mundo :)

2. Quando descobriu que a música já pulsava em tua veia? Tem músicos na tua
família?
Não tenho músicos profissionais na minha família, por isso acho que nasceu de
“mim”! Os meus pais contam-me muitas histórias em que ficava parada, no meio da rua,
com 2 anos, a ouvir os músicos que tocavam pela sua vida e, isso, não é ensinado… E
como não tinha ninguém na família que fosse músico, só posso assumir que nasceu em
mim :)

3. Afinal, o que te inspira Inês? O que move suas composições?
A maioria das histórias que escrevi são isso mesmo, histórias… Da minha vida, da
vida de pessoas que me são próximas, de situações que vou observando. Tudo o que me
inspira é tudo o que me rodeia.

4. Já participou de outros festivais? E o que te motivou a participar do The Voice?
Foi sua primeira vez?
Nunca tinha participado em nenhum programa… Quem me levou a participar, por
acaso, foi a minha professora de canto, que sugeriu que eu tentasse! Claro que a opção e
a resposta final foi minha e, felizmente, participei no The Voice, porque foi de facto uma
experiência inigualável, que nunca mais vou sentir, da mesma forma. O que me motivou
foi precisamente tentar transmitir as minhas mensagens através da música e, tentar
ganhar o respeito de Portugal e arredores como artista.

5. Porque escolheu a música da Sara Barelleis " gravity" para participar nas provas
as cegas?
A música da Sara Bareilles é uma música que me acompanha desde sempre! É a
música que mais gosto de cantar para as pessoas, porque sinto que o público absorve
cada segundo da música. Não foi difícil ter optado pelo Gravity :)

6. A escolha das canções para segmento no programa é da sua escolha ou da sua
mentora Áurea? O que as canções cantadas representavam pra
você? Tinha um significados especial?
A única música que escolhi na íntegra foi a da Prova Cega, de resto eram-me
pedidas algumas sugestões de músicas que gostasse e as músicas eram escolhidas em
conjunto.
A música pela qual tinha um maior carinho foi a “Gravity”, claro, pelas razões que já
abordei na pergunta anterior.

7. O que a Áurea representa pra ti? Não sei porque, mas todas as vezes que eu
assistia as edições do The Voice editadas no YouTube (afinal, foi assim que eu vi e
acompanhei o programa) percebi o carinho também que ela expressava por ti.
Houve uma sintonia entre vocês?
A Aurea é uma artista que me inspira desde o início da sua carreira, por isso
mesmo, tem todo o meu respeito enquanto artista!
Em relação à segunda questão, eu penso que, pelo facto de ambas termos um
estilo parecido, houve uma sintonia. Mas essa sintonia era sentida por todos os
concorrentes da sua equipa, não acho que tenha sido mais “especial” para ela, do que os
outros concorrentes da minha equipa :)

8. Relendo algumas entrevistas suas, vi a sua preocupação em passar a mensagem
diante das tuas apresentações, o que eu diria que você faz de forma singular e não
apenas canta, como encanta também... Diante disso, você saía contente após suas
apresentações ou batia um certo medo de não ter atingido o seu público?
A única atuação que eu penso não ter corrido da melhor maneira (não só pela
atuação em si, mas também pelo cansaço que se notou na minha voz) foi a última. Penso
que poderia ter transmitido melhor a mensagem, contudo, foi uma atuação que me
ensinou muito, precisamente porque eu acredito que aprendemos melhor com os nossos
erros! Mas, em geral, saía muito satisfeita do palco do The Voice :)

9. Você escolheu fazer psicologia. Qual a relação que Você faz entre a Psicologia e a
música?... O que te levou a fazer Psicologia?
Eu sou (e sempre fui) uma pessoa muito racional… Desde o 7º ano que sabia que
queria seguir psicologia por uma razão muito simples: ajudar as pessoas a ultrapassar os
seus problemas, as suas tristezas. A música só começou a surgir, levada mais a sério, a
partir dos meus 16 anos. Contudo, depressa percebi que, com ambas as áreas,
conseguia ajudar as pessoas a ultrapassar fases mais difíceis da sua vida, daí que me
seja tão importante transmitir certas mensagens, enquanto canto, principalmente as
minhas músicas. Assim, não só a música me ajuda na psicologia, como a psicologia me
ajuda a ver as coisas de outra maneira e, consequentemente, me ajuda a interpretar e a
escrever com outro sentimento.

10. Ninguém avança em nenhum projeto sem o apoio da família. O que representa a
família pra ti? Todos te apoiam?
A minha família representa tudo o que tenho! Tudo o que fui, tudo o que sou e, tudo
o que eu serei! Não tenho quaisquer dúvidas em relação a isso. Todos me apoiam a 100%
… O mundo da música não é algo fácil e, muitas vezes, sentimo-nos a fracassar por tudo
o que acontece de menos positivo e, se não tivermos alguém que acredita em nós a
100% e, em quem nós sabemos que podemos confiar, podemos não nos conseguir
levantar! Por isso mesmo, digo e repito, a minha família representa tudo o que tenho!



11.mudando de assunto
Me fale de um momento que te levou a pegar papel e caneta e deixou a tua alma
transcorrer em verso e simplesmente transformou em música?
A maioria das vezes que escrevo acontecem por acaso… Às vezes estou a jantar,
por exemplo, e lembro-me de algo para escrever ou para compor… Não consigo
descrever um momento específico, precisamente por causa disso. Mas lembro-me muito
bem de escrever a maioria das músicas fora da minha casa, do meu espaço habitual!
Quando ia de férias para o Algarve ou para Viana do Castelo, regressava sempre com
mais 2 ou 3 temas para o meu Heartbeat :)

12. O que o teu álbum " Heartbeat" representa pra você? Quanto tempo levou pra
ser produzido e quais as principais implicações que teve neste processo? O teu
produtor deixou você da o toque final no que você queria, ou simplesmente ele
decidia se seria isso ou aquilo?
O meu Heartbeat representa orgulho, motivação e inspiração! É algo concreto, que
posso ver nas lojas ou posso agarrar e pensar: “Eu consegui isto! E se eu consegui isto
com todo o esforço e carinho, então eu consigo fazer muito mais!”. É algo que está
gravado em mim para sempre.
O álbum levou cerca de 8 meses para ficar finalizado e, a principal implicação, foi a
faculdade. Tive de estudar para os exames ao mesmo tempo que tive de escrever e
finalizar as músicas, por isso foi um processo complicado para mim. Mas quando o vi
“acabado” percebi que, quando se quer algo, não há uma única barreira que nos possa
impedir! Daí que represente um orgulho gigante e um esforço tremendo!
Tudo o que está no Heartbeat foi aprovado por mim, logicamente. É o meu trabalho
e é a minha alma que está exposta, por isso mesmo, nada avançou sem eu garantir que
estava do meu agrado. Contudo, eu gosto muito de pensar na ideia de que, se não
ouvirmos outras opiniões e outros consellhos, não evoluímos! Pelo que eu, nunca deixava
de parte nenhuma ideia!

13. Quem são tuas referências musicais? Puxando para nossa cultura brasileira,
existe algum cantor brasileiro que te inspira? Se houver, quem é?
Gosto muito de Pop e R&B, Alicia Keys, Sara Bareilles, Tori Kelly, Beyoncé, são
nomes que me conquistaram :)
Em relação à cultura brasileira, lembro-me que um dos meus álbuns preferidos de
sempre e, que era a única coisa que gostava quando viajava durante horas de carro, na
minha infância, é o da Banda Eva (ao vivo)! Ainda hoje sei as músicas todas e até sei a
ordem das músicas! Numa viagem de 3/4h conseguia ouvir o cd de seguida o tempo
todo :D

14. Tens planos de fazer uma turnê visto que já tem seu primeiro álbum lançado?
Teríamos a honra de tê-la aqui no Brasil?
O meu álbum já saiu, é verdade e, estou a fazer os possíveis para conseguir
apresentá-lo em muitos sítios! Quero transmitir estas mensagens todas, para quem me
quiser ouvir! Em relação ao Brasil, para mim é que seria uma honra enorme! Vamos ver o que o futuro me reserva.


 Com sua mentora: Áurea!

15. Vamos agora a um ping pong. Faço uma pergunta simples e você responde com
apenas uma frase. Combinado? Rsrs...
Um livro de cabeceira? A Prisão do Silêncio - Torey Hayden
Um animal de estimação? Cão (mais propriamente, o meu Beat :D )
Deus é... ? Para mim, ainda uma incógnita
Quando eu crescer, quero ser? Feliz com o que faço
Uma palavra feia… Ódio
Uma palavra doce… Melodia
Uma boa amizade requer? Partilha
Um relacionamento a dois depende de? Confiança
Amor…? Música
Um momento especial e único? O lançamento do meu álbum
Pra finalizar... Uma música que te define por completa… Não tenho uma música que me
define, mas tenho músicas que definiram muitos momentos da minha vida - Gravity (Sara
Bareilles); Hey Boy (do meu Heartbeat)

Antes de finalizar, vocês não podem deixar de adquirir seu cd e acompanhá-la nas redes sociais porque vale a pena!
https://www.youtube.com/watch?v=1ovn73bDEm0

https://www.youtube.com/watch?v=Ym2DQfrPCQ4
Apresentações Provas cegas. Cantando da Sara Barelleis "Gravity"

Vale a pena também seguir nas redes sociais!
https://www.facebook.com/inescrmusic/?fref=ts e conheça muito mais deste talento!

Agora Inês, é hora de nos despedir. O que você nos diz?
Muito obrigada pelas perguntas fantásticas que me foram colocadas aqui!
Deixaram-me a pensar e obrigaram-me a ver os últimos anos da minha vida, duma outra
maneira! Um grande beijinho para todos os leitores e, claro, se quiserem acompanhar o
meu trabalho, podem pôr gosto na minha página: www.facebook.com/inescrmusic e ficam
a par de todas as novidades ;) Muitos beijinhos <3 p="">

Muito obrigado Inês pela entrevista, espero poder também contribuir na divulgação do teu trabalho e lhe desejo toda sorte do mundo e sucesso por onde quer que passares e que o Senho te conduza à ligares talvez nunca imaginados por ti e quando vier ao Brasil, vou torcer pra poder participar deste momento ímpar na tua vida e na vida de milhares de brasileiros, e eu estarei entre eles, é claro1
Bjooo!

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Lançamento do meu I Livro "Doce aroma de Poesia!"

Convite Especial...  Lançamento do Meu I Livro de Poemas e Poesias... "Doce a...