domingo, 21 de novembro de 2010

Sentimento do Mundo

Tenho apenas duas mãos
e o sentimento do mundo,
mas estou cheio escravos,
minhas lembran
ças escorrem
e o corpo transige
na conflu
ência do amor.
Quando me levantar, o c
éu
estar
á morto e saqueado,
eu mesmo estarei morto,
morto meu desejo, morto
o p
ântano sem acordes.
Os camaradas n
ão disseram
que havia uma guerra
e era necess
ário
trazer fogo e alimento.
Sinto-me disperso,
anterior a fronteiras,
humildemente vos pe
ço
que me perdoeis.
Quando os corpos passarem,
eu ficarei sozinho
desfiando a recorda
ção
do sineiro, da vi
úva e do microcopista
que habitavam a barraca
e n
ão foram encontrados
ao amanhecer
esse amanhecer
mais noite que a noite.

Análise


Publicado pela primeira vez em 1940, Sentimento do mundo
é o terceiro trabalho poético de Carlos Drummond de Andrade. Os poemas deste livro foram produzidos entre 1935 e 1940. São 28 no total. Traz o olhar do poeta sobre o mundo à sua volta, tendendo para um olhar crítico e significativamente político. É uma obra que retrata um tempo de guerras, de pessimismo e sobre tudo, de dúvidas sobre o poder de destruição do homem.
Escrito na fase em que o mundo se recuperava da Primeira Guerra Mundial e em que j
á se encontrava iminente a Segunda Grande Guerra, com a imposição do Estado Novo de Getúlio Vargas e o crescimento do Nazi-fascismo, percebe-se em Drummond a luta, a contestação, pela palavra, das atrocidades que o mundo parecia aceitar (Tudo acontece, menina / E não é importante, menina). Drummond lançou-se ao encontro da história contemporânea e da experiência coletiva, participando, solidarizando-se social e politicamente, descobrindo na luta a explicitação de sua mais íntima apreensão para com a vida como um todo.

Nota do blogueiro...

Pra mim um dos mais renomados autores e poetas brasileiro.

De uma sabedoria plena e alma apaixonante.

Com certeza eis o real motivo que me faz gostar tanto de poemas é poesia!

Um comentário:

Gilvan silva disse...

DE CADA MENSAGEM, POEMA E REFELXÃO Q O AUTOR TRAZ-NOS, PERCEBE-SE A SENSIBILIDADE POIS NA VERDADE O MAIOR SENTIMENTO Q SE TEM A CADA ESCRITA É O DESEJO DE EXPOR O Q SENTE E SABE... AFINAL JOSELITO OTILIO SABE COMO FAZER ISSO. PARABENS POR TODOS POEMAS QUERIDO.

Postagem em destaque

Lançamento do meu I Livro "Doce aroma de Poesia!"

Convite Especial...  Lançamento do Meu I Livro de Poemas e Poesias... "Doce a...