Doação de Médula Óssea





Doação de medula óssea

O que é medula óssea
É um tecido líquido que ocupa o interior dos ossos, sendo conhecida popularmente por ‘tutano’. Na medula óssea são produzidos os componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. Pelas hemácias, o oxigênio é transportado dos pulmões para as células de todo o nosso organismo e o gás carbônico é levado destas para os pulmões, a fim de ser expirado. Os leucócitos são os agentes mais importantes do sistema de defesa do nosso organismo, inclusive nos defende das infecções. As plaquetas compõem o sistema de coagulação do sangue.
QUAL A DIFERENÇA ENTRE MEDULA ÓSSEA E ESPINHAL?
Enquanto a medula óssea, como descrito anteriormente, é um tecido líquido que ocupa a cavidade dos ossos, a medula espinhal é formada de tecido nervoso que ocupa o espaço dentro da coluna vertebral e tem como função transmitir os impulsos nervosos, a partir do cérebro, para todo o corpo.
O QUE É TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA?
É um tipo de tratamento proposto para algumas doenças malignas que afetam as células do sangue. Ele consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais de medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula. O transplante pode ser autogênico, quando a medula ou as células precursoras de medula óssea provêm do próprio indivíduo transplantado (receptor). Ele é dito alogênico, quando a medula ou as células provêm de um outro indivíduo (doador). O transplante também pode ser feito a partir de células precursoras de medula óssea obtidas do sangue circulante de um doador ou do sangue de cordão umbilical.
QUANDO É NECESSÁRIO O TRANSPLANTE?
Em doenças do sangue como a Anemia Aplástica Grave e em alguns tipos de leucemias, como a Leucemia Mielóide Aguda, Leucemia Mielóide Crônica, Leucemia Linfóide Aguda. No Mieloma Múltiplo e Linfomas, o transplante também pode estar indicado.
Anemia Aplástica: É uma doença que se caracteriza pela falta de produção de células do sangue na medula óssea. Apesar de não ser uma doença maligna, o transplante surge como uma saída para ‘substituir’ a medula improdutiva por uma sadia.
Leucemia: É um tipo de câncer que compromete os glóbulos brancos (leucócitos), afetando sua função e velocidade de crescimento. O transplante surge como uma forma de tratamento complementar aos tratamentos convencionais.
COMO É O TRANSPLANTE PARA O DOADOR?
Antes da doação, o doador faz um exame clínico para confirmar o seu bom estado de saúde. Não há exigência quanto à mudança de hábitos de vida, trabalho ou alimentação. A doação é feita por meio de uma pequena cirurgia, de aproximadamente 90 minutos, em que são realizadas múltiplas punções, com agulhas, nos ossos posteriores da bacia e é aspirada a medula. Retira-se um volume de medula do doador de, no máximo, 10%. Esta retirada não causa qualquer comprometimento à saúde.
COMO É O TRANSPLANTE PARA O PACIENTE?
Depois de se submeter a um tratamento que destrói a própria medula, o paciente recebe a medula sadia como se fosse uma transfusão de sangue. Essa nova medula é rica em células chamadas progenitoras, que, uma vez na corrente sangüínea, circulam e vão se alojar na medula óssea, onde se desenvolvem. Durante o período em que estas células ainda não são capazes de produzir glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas em quantidade suficiente para manter as taxas dentro da normalidade, o paciente fica mais exposto a episódios infecciosos e hemorragias. Por isso, deve ser mantido internado no hospital, em regime de isolamento. Cuidados com a dieta, limpeza e esforços físicos são necessários. Por um período de 2 a 3 semanas, necessitará ser mantido internado e, apesar de todos os cuidados, os episódios de febre são quase uma regra no paciente transplantado. Após a recuperação da medula, o paciente continua a receber tratamento, só que em regime ambulatorial, sendo necessário, por vezes, o comparecimento diário ao hospital.
QUAIS OS RISCOS PARA O PACIENTE?
A boa evolução durante o transplante depende de vários fatores: o estágio da doença (diagnóstico precoce), o estado geral do paciente, boas condições nutricionais e clínicas, além, é claro, do doador ideal. Os principais riscos se relacionam às infecções e às drogas quimioterápicas utilizadas durante o tratamento. Com a recuperação da medula, as novas células crescem com uma nova ‘memória’ e, por serem células da defesa do organismo, podem reconhecer alguns órgãos do indivíduo como estranhos. Esta complicação, chamada de doença enxerto contra hospedeiro, é relativamente comum, de intensidade variável e pode ser controlada com medicamentos adequados. No transplante de medula, a rejeição é rara.
QUAIS OS RISCOS PARA O DOADOR?
Os riscos são poucos e relacionados a um procedimento cirúrgico que necessita de anestesia geral, sendo retirada do doador a quantidade de medula óssea necessária (menos de 10%). Esta pequena cirurgia tem duração de aproximadamente 90 minutos e consiste de 4 a 8 punções na região pélvica posterior para aspiração da medula. Dentro de poucas semanas, a medula óssea do doador estará inteiramente recuperada. Uma avaliação pré-operatória detalhada avalia as condições clínicas e cardiovasculares do doador visando a orientar a equipe anestésica envolvida no procedimento operatório.
O QUE É COMPATIBILIDADE?
Para que se realize um transplante de medula é necessário que haja uma total compatibilidade tecidual entre doador e receptor. Caso contrário, a medula será rejeitada. Esta compatibilidade tecidual é determinada por um conjunto de genes localizados no cromossoma 6. Por isso, devem ser iguais entre doador e receptor. Esta análise é realizada em testes laboratoriais específicos, a partir de amostras de sangue do doador e receptor, chamados de exames de histocompatibilidade. O laboratório do Centro de Transplante de Medula Óssea funciona no Hospital dos Servidores do Estado. Com base nas leis de genética, as chances de um indivíduo encontrar um doador ideal entre irmãos (mesmo pai e mesma mãe) é de 35%
O QUE FAZER QUANDO NÃO HÁ UM DOADOR COMPATÍVEL?
Quando não há um doador aparentado (um irmão ou outro parente próximo, geralmente um dos pais), a solução é procurar um doador compatível entre os grupos étnicos (brancos, negros amarelos…) semelhantes. Embora, no caso do Brasil, a mistura de raças dificulte a localização de doadores, é possível encontrá-los em outros países. Desta forma surgiram os primeiros Bancos de Doadores de Medula, em que voluntários de todo o mundo são cadastrados e consultados para pacientes de todo o planeta. Hoje, já existem mais de 5 milhões de doadores. O Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME) coordena a pesquisa de doadores nos bancos brasileiros e estrangeiros.
PASSO A PASSO PARA SE TORNAR UM DOADOR:
– Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, e se recompõe em apenas 15 dias.
– Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.
– Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante.
– Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação.
– Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de UMA EM CEM MIL!
– Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação.
– Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte.
– A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo.
– É muito importante que sejam mantidos atualizados os dados cadastrais para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato. Para atualizar o cadastro, basta que o doador ligue para (21) 3970-4100 ou envie um e-mail para redome@inca.gov.br.
Caso você decida doar…
  1. Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante).
  2. Onde e quando doar: Clique AQUI a seguir e veja o local mais próximo da sua residência.
    Fonte: http://www.inca.gov.br/inca/Arquivos/Cemo/Hemocentrosnosestados0409.pdf
  3. Como é feita a doação: será retirada por sua veia uma pequena quantidade de sangue (5ml) e preenchida uma ficha com informações pessoais.
Seu sangue será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro.
Seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários.
Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para confirmar que deseja realizar a doação. Seu atual estado de saúde será avaliado.
A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana.

http://www.vidaporvidas.com/por-que-doar/


Uma boa música/Thales Roberto e Ministério Pedras Vivas

Basta colocar uma música e de súbito
Sou tocado por algo diferente
Algo que mexe comigo
Que move meu ser
Me fazendo ver que por mais que eu pareça está calmo... e sereno
Dentro de mim tudo está efervescendo e só eu mesmo sei como estou!
E como o mar que às vezes parece calmo e sereno
Nas suas profundezas tudo está em constante movimento...
Movimentos bruscos às vezes
E a olho nú somos incapazes de ver
De perceber tamanha agitação!
Loucura né?
Assim sou eu e você
Diante das provações e privações da vida
E logo nos vemos assim!
Basta colocar uma música
Ou imaginar a calma e leveza do oceano
Que começo a perceber que preciso controlar meus pensamentos
Meus anseios
Vontades ou desejos
E perceber que assim como a lua reflete a sua luz sobre o vasto oceano num momento noturno
Assim é o Senhor em nossas vidas,
E durante o dia ele nos aquece com os raios solares
E quando anoitece e o você coloca sua cabeça no travesseiro
Você ouve alguém sussurrando aos teus ouvidos no silêncio da noite:
"Descansa em mim e eu te farei andar sobre as águas
Não importa qual seja a tua situação
Qual seja a "grandiosidade do teu problema"
Creia em mim
Confia em mim e eu reduzo tudo a pó
A minúsculas partículas de areia...!
Porque temer
Se eu estou contigo?
Eu não te abandonei...
Aprenda a confiar em mim
A DEPENDER de MIM
E muito mais farei por ti...
EU só preciso que você CREIA...
EU SOU TEU PROVEDOR.
Porque temer se até o lírio dos campos eu visto e faço provisão de todos os nutrientes que eles precisam para sobreviver,
Quanto mais você que de uma forma ÚNICA
Eu formei desde o ventre da tua mãe...
Descanse em mim
E eu te farei andar sobre as águas
Você não emergirá porque eu te tomo pela mão direita e te trago para um lugar seguro...
Te trago em meus braços!...
Eu não te abandonei...
Pare de lutar sozinho
De relutar com suas próprias forças
Me deixe agir por ti?
Me deixe assumir o controle da tua vida?
Esqueceu do que EU SOU CAPAZ por um filho meu
Mesmo sendo falho
Miserável e Pecador?
Eu não vejo como vocês veem...
EU SOU O AMOR e assim eu também os vejo
Vejo com OLHAR DE AMOR...
EU ESTOU CONTIGO SEMPRE... SEMPRE... E PARA TODO O SEMPRE!"
Isso é o que estou ouvindo neste exato momento
E assim, eu me rendo aos teus feitos,
Aos teus pés e que seja feita a tua vontade DEUS sobre mim!
E assim,
Deixo as frases desta canção alimentar meu ser,
Deixo Deus aquecer minha alma e me tomar em teus braços de amor
E lá vamos nós...
Embalados nos braços do PAI...
Lugar de AMOR
Lugar que transborda PAZ!

Foto: Yuri Aguiar
Ouvindo Thales Roberto e Ministério Pedras Vivas : "Se eu tocar em ti

Reflexão


"A vida sempre nos remeterá há lugares que nos faça repensar
e ver quão grande é o amor de Deus por nós,
E nestes momentos sempre seremos levados há alguns lugares que nos promova paz de espírito
Leveza na alma e contemplando a beleza existente no universo
logo compreendemos o quanto somos importantes aqui nesta terra
e o quanto pesa em nossos ombros algumas responsabilidade,
dentre elas a certeza de que devemos promover o bem ao outro,
promover alegria, felicidade... Não felicidade egoísta relacionada entre dois seres humanos ou mesmo a minha família,
mas a FELICIDADE como uma VIRTUDE, como ver o outro FELIZ independente de EU está FELIZ!
Acredito que isso deveria ser a MÁXIMA DA VIDA... Mas estamos correndo demais para dá valor a estas baboseiras
e se os MEUS estão felizes, problema do RESTO...
É hora de repensar nossos valores e nossas atitudes!" JNOtílio

Promoção Mês de Anivserário do Meus Poemas Minha Vida




PRONTO... MAIS UMA PROMOÇÃO DE ANIVERSÁRIO DO MEU BLOG MEUS POEMAS MINHA VIDA...
BOA SORTE E VAMOS LÁ!
O sorteio será no dia 31.08.2016

 Corram lá e participem!

https://www.facebook.com/Meus-Poemas-Minha-Vida-317008408315133/?sk=app_154246121296652&app_data={%22id%22%3A564707}

Ao meu Snoopy























Ele não é apenas um cachorro,
Ele não é qualquer cachorro,
Ele tornou-se um grande amigo!
O engraçado que nos muitos momentos sombrios e tênue que a vida me proporcionara
Ele estava do meu lado!
Quando eu chegava do trabalho extasiado e cansado
Era ele que me recebia na porta de casa com toda felicidade do mundo
E eu encontrava nele uma grande amizade!
Houve momentos que meu coração por dentro estava dilacerado,
Parecia que estava só,
Mas quando ele tentava de mil formas chamar a minha atenção e eu lhe dava até mesmo forçado,
Ele percebia isso,
E do jeito dele mesmo sendo peralta... Me compreendia!

Me lembro que às vezes eu pegava papel e caneta para escrever
E ele simplesmente deitava sobre meu caderno
Me chamado para brincar com ela
Para está com ele,
E às vezes eu ia,
Outras, não!

Me lembro também que em alguns momentos com lágrimas caindo dos meus olhos
Por algumas agruras da vida
Era abraçado nele que eu encontrava um certo afago,
Total apoio!

Como meu Snoopy me fizera bem
Me faz bem até hoje
Mesmo sendo "deficiente auditivo"
Do jeitinho dele e do meu jeito nos entendemos...!

Amo... Amo... Amo
E eu não sei o que seria da minha vida se não fosse
Este ser que parece irracional
Mas que me compreende melhor que todos
Meu grande amigo!
JNOtílio

Palavras lançadas ao vento!




Talvez algum dia,
Em algum lugar,
Em algum momento
Estas palavras talvez lançadas ao vento
Encontre algum porto seguro,
Algum sentido 
E sentado a beira de uma estrada
Ou até mesmo, na beira do mar
Sentindo a leve brisa que passa
Ou as ondas do mar acertando em cheio as pedras,
Dançando em meio as ondas
Fazendo suas nuances e nos envolvendo cada vez mais em ti.

Talvez algum dia
Em algum lugar,
Tudo isto nesta vida nos fará ver que nada fora inútil
Em vão,
Algo de fato deva ter valido a pena!
E as lutas de outrora?
Os problemas?
Estes também foram lançados em algum lugar neste vasto oceano
Nos fazendo ver que problemas com certeza existem,
Mas é preciso aprender com eles e recomeçar sempre!,
Mas enquanto isso, 
Continuo desejando os fragmentos do início deste Devaneio
O qual chamei de "Palavras ao Vento!"

Talvez algum dia,
Em algum lugar,
Em algum momento
Estas palavras talvez lançadas ao vento
Encontre algum porto seguro,
Algum sentido 
E sentado a beira de uma estrada
Ou até mesmo, na beira do mar
Sentindo a leve brisa que passa
Ou as ondas do mar acertando em cheio as pedras,
Dançando em meio as ondas
Fazendo suas nuances e nos envolvendo cada vez mais em ti.
JNOtílio

Fragmentos "Doce aroma de Poesia" Livro



“Olhando para ti... 
Vejo o sol mais ardente, 
E o teu lindo sorriso me fazendo mais confiante 
Mais feliz e te amando pra valer!”JNOtílio

Foto: Walesca Oliveira

O Chamado das Pedras/Cora Coralina

http://www.avozdapoesia.com.br/obras_ler.php?obra_id=3773
A estrada está deserta.
Vou caminhando sozinha.
Ninguém me espera no caminho.
Ninguém acende a luz.
A velha candeia de azeite de lá muito se apagou.

Tudo deserto.
A longa caminhada.
A longa noite escura.
Ninguém me estende a mão.
E as mãos atiram pedras.
Sozinha...
Errada a estrada.
No frio, no escuro, no abandono.
Tateio em volta e procuro a luz.
Meus olhos estão fechados.
Meus olhos estão cegos.
Vêm do passado.

Num bramido de dor.
Num espasmo de agonia
Ouço um vagido de criança.
É meu filho que acaba de nascer.

Sozinha...
Na estrada deserta,
Sempre a procurar
o perdido tempo que ficou pra trás.

Do perdido tempo.
Do passado tempo
escuto a voz das pedras:

Volta...Volta...Volta...
E os morros abriam para mim
Imensos braços vegetais.

E os sinos das igrejas
Que ouvia na distância
Diziam: Vem... Vem... Vem...

E as rolinhas fogo-pagou
Das velhas cumeeiras:
Porque não voltou...
Porque não voltou...
E a água do rio que corria
Chamava...chamava...

Vestida de cabelos brancos ei sozinha à velha casa deserta.
©CORA CORALINA In Me
http://www.avozdapoesia.com.br/obras_ler.php?obra_id=3773u Livro de Cordel, 1998

Afinal, quem foi Carlos Drummond de Andrade?


Poeta, cronista, contista e tradutor brasileiro. Sua obra traduz a visão de um individualista comprometido com a realidade social.
Na poética de Carlos Drummond de Andrade, a expressão pessoal evolui numa linha em que a originalidade e a unidade do projeto se confirmam a cada passo. Ao mesmo tempo, também se assiste à construção de uma obra fiel à tradição literária que reúne a paisagem brasileira à poesia culta ibérica e européia.
Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira  - MG, em 31 de outubro de 1902. De uma família de fazendeiros em decadência, estudou na cidade natal, em Belo Horizonte e com os jesuítas no Colégio Anchieta de Nova Friburgo RJ, de onde foi expulso por "insubordinação mental". De novo em Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do Diário de Minas, que aglutinava os adeptos locais do incipiente movimento modernista mineiro.
Ante a insistência familiar para que obtivesse um diploma, formou-se em farmácia na cidade de Ouro Preto em 1925. Fundou com outros escritores "A Revista", que, apesar da vida breve, foi importante veículo de afirmação do modernismo em Minas. Ingressou no serviço público e, em 1934, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi chefe de gabinete de Gustavo Capanema, ministro da Educação, até 1945. Excelente funcionário, passou depois a trabalhar no Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e se aposentou em 1962. Desde 1954 colaborou como cronista no "Correio da Manhã" e, a partir do início de 1969, no "Jornal do Brasil".
Predomínio da individualidade. O modernismo não chega a ser dominante nem mesmo nos primeiros livros de Drummond, "Alguma poesia" (1930) e "Brejo das almas" (1934), em que o poema-piada e a descontração sintática pareceriam revelar o contrário. A dominante é a individualidade do autor, poeta da ordem e da consolidação, ainda que sempre, e fecundamente, contraditórias. Torturado pelo passado, assombrado com o futuro, ele se detém num presente dilacerado por este e por aquele, testemunha lúcida de si mesmo e do transcurso dos homens, de um ponto de vista melancólico e cético. Mas, enquanto ironiza os costumes e a sociedade, asperamente satírico em seu amargor e desencanto, entrega-se com empenho e requinte construtivo à comunicação estética desse modo de ser e estar.
Vem daí o rigor, que beira a obsessão. O poeta trabalha sobretudo com o tempo, em sua cintilação cotidiana e subjetiva, no que destila do corrosivo, no que desmonta, dispersa, desarruma, do berço ao túmulo -- do indivíduo ou de uma cultura.
Em "Sentimento do mundo" (1940), em "José" (1942) e sobretudo em "A rosa do povo" (1945), Drummond lançou-se ao encontro da história contemporânea e da experiência coletiva, participando, solidarizando-se social e politicamente, descobrindo na luta a explicitação de sua mais íntima apreensão para com a vida como um todo. A surpreendente sucessão de obras-primas, nesses livros, indica a plena maturidade do poeta, mantida sempre.
Alvo de admiração irrestrita, tanto pela obra quanto pelo seu comportamento como escritor, Carlos Drummond de Andrade morreu no Rio de Janeiro RJ, no dia 17 de agosto de 1987, poucos dias após a morte de sua filha única, a cronista Maria Julieta Drummond de Andrade.
http://pensador.uol.com.br/autor/carlos_drummond_de_andrade/biografia/